Redes Sociais

I Liga

Luís Castro comenta possível saída para Inglaterra: “Amanhã irei falar”

Foto: DR / Arquivo

Declarações após o jogo Vitória SC-Rio Ave (3-2), da 12.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, disputado hoje no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, em que, para além da partida, o técnico contratado pelos vitorianos ao Chaves falou sobre a alegada saída para treinar o Reading, clube que ocupa a antepenúltima posição no Championship (segundo escalão inglês).

Luís Castro (treinador do Vitória SC): “A equipa tem dado respostas muito positivas a momentos extremamente difíceis. Em momentos em que está por baixo no jogo, consegue voltar ao jogo e superiorizar-se. Muitas vezes, a tendência do jogo é muito difícil de inverter. Somos uma equipa adulta e já capaz de fazer coisas muito boas. A nossa equipa tem entrado [em campo] com oito, nove jogadores que não estavam no ano passado.

O Rio Ave é uma equipa muito forte, muito boa, que estava no quinto lugar connosco. Fomos mais felizes, mas trabalhámos muito para isso. Jamais se pode falar em justiça no futebol, porque ela está nos golos que se marcam e se sofrem.

Foi um bom jogo, com as duas equipas a tentarem tirarem o máximo de espaço no último terço [do relvado]. Fomos sustendo o jogo do Rio Ave, a não ser num período em que a equipa se desuniu um pouco, antes de voltar ao jogo.

[Coloquei o Pepê em campo], porque o nosso tempo de ataque, com o André e o Tozé, era muito rápido, o que fazia com o que o Rio Ave não baixasse as linhas e mantivesse as referências no ataque. O Pepê gere muito bem essa situação. Começámos a ter mais tempo de bola no meio-campo do Rio Ave e chegámos ao 3-2.

(Alegada saída para o Reading, de Inglaterra) Neste momento, estou inquieto eu, a administração e os adeptos. Amanhã [na segunda-feira], irei falar. Não faria sentido algum proferir qualquer declaração sobre o assunto sem sentar com a administração e com a família e conversar. Puxei o jogo com o Rio Ave para a frente de tudo o que estava a acontecer. Foi com muito entusiasmo que eu, os jogadores, a estrutura e a massa adepta nos focámos no jogo com o Rio Ave. Não fazia qualquer sentido desviar-me desse foco. Agora, vamos saborear um pouco a vitória. Amanhã [segunda-feira], voltamos ao trabalho, porque resolver um problema destes também é trabalhar”.

José Gomes (treinador do Rio Ave): “Fizemos um jogo à procura da vitória. Jogámos contra o Vitória de Guimarães, uma equipa muitíssimo bem organizada, e conseguimos ter superioridade, controlo do jogo, mais tempo de bola e criar mais oportunidades. Quando se analisam estas virtudes, [o adequado] seria qualquer resultado que desse, no mínimo, o empate.

Assim não aconteceu por imprudência nos lances que dão grande penalidade e são grande penalidade. Ainda não tive acesso às imagens da falta que deu para o terceiro golo. Fico com a sensação de que não houve qualquer falta. O árbitro garantiu-me que há um ‘pisão’ do Diego [Lopes]. Mas ao chegarem a este estádio e ao ‘encostarem’ o Vitória de Guimarães, tirando-lhes a sua força, que é a capacidade na circulação de bola, os meus jogadores mereciam mais para brindarem os nossos adeptos com outro resultado que não este.

Quando sofrermos golos não é a defesa, nem o guarda-redes. É a equipa. Temos de ser mais prudentes. Efetivamente estes erros contra adversários fortes com o Vitória de Guimarães pagam-se com pontos. Temos de refletir.

A equipa tem crescido muito, [apesar das três derrotas consecutivas]. Vemos [na equipa] o número de jogadores que não estavam cá o ano passado. Conseguimos juntar este novo grupo, que não é 100% novo, mas é-o quase na sua totalidade. Fizemos uma verdadeira equipa. A qualidade do jogo que nós apresentámos permite encarar aquilo que vem com otimismo”.

Comentar

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais I Liga