Redes Sociais

Taça de Portugal

Marcar três golos no Dragão, perder e ser eliminado da Taça. Aconteceu ao Moreirense

O Moreirense perdeu esta terça contra o FC Porto, no Estádio do Dragão, por 4-3, em partida dos oitavos de final da Taça de Portugal em futebol, em que os ‘dragões’ sentiram dificuldades para assegurarem a passagem à fase seguinte da competição.

A aguerrida formação minhota até foi a primeira a marcar, por Texeira, logo aos oito minutos, e, apesar de os ‘azuis e brancos’ terem feito a reviravolta com os tentos de Felipe (13) e Hernâni (16), os ‘cónegos’ ainda empataram antes do intervalo com um golo de Iago dos Santos (45+1).

Já no segundo tempo, um ‘bis’ de Marega, aos 65 e 89, recolocou os ‘dragões’ na frente, apesar de Heriberto ainda ter ameaçado o prolongamento, reduzindo para o 4-3 final, aos 90+2.

Apesar dos dois técnicos terem feito várias mexidas nos ‘onzes’ habituais, tal não foi impeditivo que a partida começasse com um ritmo frenético, com três golos logo no primeiro quarto de hora.

Os minhotos até surpreenderam aos oito minutos, quando inauguraram o marcador, num veloz lance de contra-ataque, que Neto e Heriberto trabalharam para Texeira finalizar com um desvio.

A festa dos ‘cónegos’ durou azpenas cinco minutos, pois, na primeira resposta contundente, os ‘dragões´ resgataram o empate, num cabeceamento de Felipe, após um canto.

O tento abalou a confiança do Moreirense, que, aos 16, não conseguiu impedir a reviravolta, desta feita numa jogada de Adrián Lopez, que Hernâni, entrado momentos antes para o lugar do lesionado Otávio, ‘fuzilou’ para o 2-1.

Embalado com os dois golos em menos de três minutos, o FC Porto soltou-se para ‘cavar’ uma vantagem mais confortável, obrigando o Moreirense a encolher-se e criando uma série de oportunidades flagrantes para dilatar o resultado.

André Pereira, Marega e Danilo protagonizaram, então, claras situações de golo, mas com alguma displicência, dando alento à resposta do Moreirense, que, aos 45+1, num belo cabeceamento de Iago, fixou o 2-2 ao intervalo.

No regresso de descanso, o técnico do Moreirense mudou o figurino da equipa, promovendo duas substituições que configuraram a estratégia para um esquema de três centrais.

A mexida deu frutos nos primeiros minutos do reatamento, com os ‘dragões’ a sentirem dificuldades para irromper na área, só o conseguindo numa arrancada de Hernâni, que Marega não conseguiu finalizar, quando tinha apenas guarda-redes contrário pela frente.

Os ‘cónegos’ continuavam a apostar no contra-ataque, mas, já depois de verem Heriberto rematar com perigo ao lado, abriram uma brecha na defesa, descortinada pelo recém-entrado Brahimi, que assistiu Marega e permitiu que o maliano se redimisse e recolocasse os ‘azuis e brancos’ na frente, aos 65.

O FC Porto praticamente sentenciou aos 89, novamente com Brahimi e Marega como protagonistas, com o argelino a assistir o camisola 11 dos ‘dragões’ para este ‘bisar’ num eficaz ‘chapéu’.

Mesmo assim, o Moreirense recusou-se a atirar a ‘toalha ao chão’ e ainda conseguiu por o Dragão em suspenso, quando Heriberto, já nos descontos, ainda reduziu para 4-3, que acabou por prevalecer.

A equipa de Moreira de Cónegos fez o que poucos faziam no estádio do atual campeão nacional, mas acabou por ficar fora da Taça.

Ficha de Jogo

Jogo disputado no Estádio do Dragão, no Porto.

FC Porto – Moreirense, 4-3.

Ao intervalo: 2-2.

Marcadores:

0-1, Texeira, 08 minutos.

1-1, Felipe, 13.

2-1, Hernâni, 16.

2-2, Iago, 45.

3-2, Marega, 66.

4-2, Marega, 89.

4-3, Heriberto, 90+2.

Equipas:

– FC Porto: Fabiano, Maxi Pereira, Felipe, Éder Militão, Alex Telles, Danilo (Sérgio Oliveira, 78), Herrera, Marega, Otávio (Hernâni, 12), Adrián Lopez e André Pereira (Brahimi, 61).

(Suplentes: Casillas, Hernâni, Brahimi, Corona, Mbemba, Sérgio Oliveira e Soares).

Treinador: Sérgio Conceição.

– Moreirense: Pedro Trigueira, D’Alberto, Iago, Ivanildo, Bruno Silva, Neto (Halliche, 46), Loum (Alan Schons, 69), Pedro Nuno (Chiquinho, 46), Heriberto, David Texeira e Pato Rodríguez.

(Suplentes: Nuno Macedo, João Aurélio, Halliche, Alan Schons, Bilel, Chiquinho e Arsénio).

Treinador: Ivo Vieira.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Danilo (48), Loum (65) e Ivanildo (85).

Assistência: 15.945 espetadores

Comentar

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais Taça de Portugal