Redes Sociais

I Liga

Moreirense consegue reviravolta e acaba o ano a ganhar

O Moreirense deu este sábado a volta ao resultado e venceu na receção ao Boavista por 2-1, em jogo da 14.ª jornada da I Liga portuguesa em futebol, subindo provisoriamente ao sétimo lugar.

Mateus colocou o Boavista em vantagem aos 17 minutos, mas a equipa vimaranense conseguiu os três pontos e a terceira vitória consecutiva para o campeonato com golos de Nenê (28), de grande penalidade, e de Arsénio nos descontos da primeira parte. Antes os boavisteiros ficaram em desvantagem numérica, após a expulsão de Neris aos 36 minutos.

Este triunfo vale ao Moreirense, que era décimo à entrada para o jogo, a subida provisória ao sétimo lugar da tabela, com 22 pontos, enquanto o Boavista segue na 12.ª posição, com 13.

Ivo Vieira operou uma verdadeira revolução na equipa em relação ao ‘onze’ que tinha jogado a meio da semana no Dragão (derrota por 4-3) para a Taça de Portugal, mantendo apenas Loum e Heriberto.

Por sua vez, Carraça, Mateus e André Claro foram as novidades na equipa de Jorge Simão face ao jogo com o Vitória de Guimarães (derrota por 1-0).

O Boavista teve uma entrada em jogo agridoce com um golo e uma expulsão no espaço de cerca de vinte minutos e, depois de ter estado a vencer, foi mesmo para o intervalo a perder por 2-1, resultado que não mais se alterou num encontro tenso.

Aos 17 minutos, com um golo que começou numa reposição de bola do Moreirense, Rafael Costa pegou na bola e Mateus terminou o lance, fazendo o 1-0.

Mas aos 26, Nenê que estava isolado foi travado na área pelo guardião boavisteiro, e na cobrança da grande penalidade, o brasileiro não desperdiçou e estabeleceu o empate.

Num jogo pouco prático, mas intenso, a equipa portuense viria a sofrer nova contrariedade quando se viu com menos um jogador aos 36 minutos por expulsão de Neris que viu segundo amarelo ao travar Arsénio quando este seguia para a baliza em boa posição para rematar. Esta situação gerou mesmo confusão junto ao banco do Boavista, culminando na expulsão do diretor desportivo Fary.

A formação minhota conseguiu mesmo dar a volta ao marcador ainda na primeira parte com Arsénio a finalizar uma jogada que começou num cruzamento de Heriberto na direita para Nenê, mas Helton negou o golo ao brasileiro, não tendo fôlego para o assalto final no interior da área (45+3 minutos).

Na segunda parte, muita expectativa para perceber como é que o Boavista, que nunca ganhou em Moreira de Cónegos em jogos para o campeonato, se ia organizar com um jogador a menos e em desvantagem no marcador, mas foi o Moreirense quem primeiro criou perigo com um remate de Heriberto, aos 53 minutos, que Talocha tirou praticamente sobre a linha.

Do lado oposto, o Boavista tentava usar as bolas paradas para criar perigo, mas um livre direto de Carraça encontrou a barreira ‘cónega’ pelo meio (69).

E quando faltava menos de um quarto de hora para o final do tempo regulamentar, deu-se nova ‘tempestade’ no banco dos portuenses com o Boavista a reclamar mão de João Aurélio na área, mas o juiz da partida deixou seguir o lance.

O Moreirense ainda teve oportunidade de aumentar a vantagem a três minutos do final, mas Pedro Nuno permitiu a defesa do guarda-redes visitante, após passe de João Aurélio.

Para o lado do Boavista nota para o remate de Gonçalo Cardoso, aos 89 minutos, que Jhonatan defendeu já em esforço e a dois tempos.

Comentar

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais I Liga