Redes Sociais

I Liga

Possíveis saídas “preocupam” Ivo Vieira

Foto: Twitter de futebol365 / Arquivo

Declarações dos treinadores de Moreirense e Nacional, após o jogo da 19.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que terminou com a vitória dos minhotos por 2-1:

Ivo Vieira (treinador do Moreirense): “No lançamento do jogo, quando disse que queria fazer alguns reajustes, não estava a mandar recados a ninguém. Temos uma pessoa que lidera o clube e tem mérito de o fazer bem há muitos anos. Eu disse que queria reajustes, é muito diferente de mandar recados. É ser realista nas questões que me foram feitas. Eu, como treinador, gosto que me metam pressão e de ser provocado.

O mérito é inteiramente dos jogadores. Eles é que jogam e trabalham e tentam implementar a ideia de jogo trabalhada durante a semana.

Tivemos situações para fazer mais dois ou três golos. Não conseguimos e depois as equipas crescem e acreditam que podem chegar ao empate. Não esperava depois do 2-0 ter essa dificuldade. Nós fomos mais fortes. Os pontos cada vez custam mais caro, mas nós sabemos o que queremos fazer.

Um dos meus principais objetivos é fazer uma época consistente no Moreirense, promover jogadores. As possíveis saídas – que não tenho informação que vá acontecer – é que me preocupam. Estou muito feliz e foquei isso com os atletas que estão no plantel.”

Foto: Facebook / Arquivo

Costinha (treinador do Nacional): “Não contava que houvesse só três minutos de descontos. Não serve de desculpa, mas, na segunda parte, houve muito pouco tempo de jogo. Foi uma péssima decisão aqueles três minutos.

Fizemos uma primeira parte má. Pode não servir de explicação, mas tínhamos três derrotas, agora são quatro consecutivas, e isso cria alguma ansiedade, a ansiedade de querer alterar as contas e os acontecimentos. A ansiedade tomou conta da equipa, aliada ao mérito do Moreirense, que aproveitou bem os erros individuais e defensivos da minha equipa.

Na segunda parte, entrámos muito bem no jogo, mas levámos com o segundo golo num lance em que estavam, se não me falha memória, três jogadores para um do Moreirense e mesmo assim ele conseguiu passar a um colega. Temos de analisar e refletir.

Resumindo, uma primeira parte má e uma segunda a tentar entrar, pouco jogo, muitas paragens, pouca compensação. A equipa do Nacional merecia mais tempo de jogo do que aquele que foi dado pela equipa de arbitragem.”

Comentar

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais I Liga