Redes Sociais

I Liga

“Quem ficar com azia pode sair porta fora”

Declarações após o jogo SC Braga – Nacional (5-0), da segunda jornada do grupo B da Taça da Liga de futebol, hoje disputado em Braga.

Abel Ferreira (treinador do SC Braga): “Entrámos muito fortes no jogo, os jogadores foram sérios desde o primeiro segundo, foram à procura de golos e continuaram a ser contundentes.

Fizemos um jogo sério e competente, fizemos bem as coisas simples, foi uma vitória justa perante um adversário que não estaria na máxima força, como no jogo que fez aqui para o campeonato no qual foi a única a marcar-nos dois golos.

Agradecemos o facto de pertencer a uma instituição como o Braga, com ambição de fazer mais e melhor, somos exigentes e queremos melhorar individual e coletivamente. O difícil não é ganhar, mas de forma consistente, mas isso desgasta e queremos estar sempre focados.

Foto: Facebook de SC Braga

[Reação de Paulinho depois de marcar] Deu para perceber que havia muita tensão dentro dele, mas a confiança ganha-se no treino e não nos jogos. O Paulinho fez uma pré-época absolutamente incrível, infelizmente fez uma entorse grave com o Newcastle e teve que ficar de fora muito tempo, mas os jogadores têm que ajustar as expectativas.

Quem ficar com azia [por não jogar] pode sair porta fora, porque não queremos jogadores com azia. Este ano tivemos um grande revés, ficámos fora da Liga Europa, no ano passado cheguei a rodar 10 jogadores, porque confio, mas agora em vez de dois dias, temos quatro para recuperar. A equipa tem estado bem, muito por culpa dos que não jogam, temos sete jogadores da equipa B, temos que reformular a posição de defesas centrais, porque temos a mais, por contingências de lesões”

Foto: Facebook

Costinha (treinador do Nacional): “Esta derrota explica-se pela grande qualidade do Braga, do seu treinador e jogadores, e pelo momento menos bom que nós atravessamos que nos retira alguma tranquilidade e confiança, mas os jogadores continuam a ser os mesmos em quem acreditámos no início da época, que tinham índices muito bons até determinada altura.

Sem essa confiança, entra o primeiro golo, mais um e outro e a equipa adversária cresce. O primeiro lance da partida deixou a equipa logo intranquila e a primeira parte foi um descalabro muito bem aproveitado pelo Braga.

Na segunda parte, tentámos melhorar, demos um pouco mais, mas não conseguimos.

[Pior defesa, números preocupam e pondera mudar?] Não vamos abdicar de tudo que fizemos, seria sinal de que não valia de nada, precisamos de ser mais objetivos, perceber o momento, ser mais práticos e ter mais agressividade, só assim se pode inverter o rumo.

[Lugar em risco?] O meu lugar está em risco desde que comecei a época, o treinador tem que saber conviver com isso. Tenho a acrescentar o meu compromisso com o clube, caso não seja esse o desejo dos responsáveis, só têm que falar comigo.

Continuo com o desejo de continuar a cumprir esse compromisso, sei que não é fácil porque, como é óbvio, todos querem vitórias, mas não sou o Costinha diferente do ano passado, que fez coisas boas pelo Nacional [campeão da II Liga]. Temos que remediar coisas, tenho presente o que é necessário e tenho a convicção e a confiança necessária para continuar, embora admita que seja difícil, mas atirar a toalha ao chão não me é possível fazer”.

Comentar

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais I Liga